SLIDES - EEMAS

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

EEMAS REALIZA SUA PRIMEIRA CORDELTECA - UMA VIAGEM AO MUNDO DA CULTURA POPULAR.

Foi realizado na tarde desta quinta-feira, dia 07 de novembro de 2017, a culminância do Projeto Cordelteca na Escola: Uma viagem no mundo da cultura popular. O evento aconteceu na Biblioteca Maria Salete Gomes Moreno e contou com a participação de alunos no ensino médio, professores e gestores da escola.

A cordelteca faz parte de um projeto do governo do estado do RN em parceria com a Escola Estadual Prof. Maria Arioene de Souza no âmbito da Literatura de cordel. A inciativa resultou em palestras, oficinas e produções de cordéis de alunos do ensino médio da escola.

No evento, os cordelistas Alessandra Kenia e Daniel Santos foram homenageados, com declamações de seus principais versos de cordel. Ainda tivemos declamações de cordéis pelos alunos, apresentação de fantoches e a tradicional dança de pastoril.


O diretor da Sétima Direc, Dinamérico Augusto, e o técnico Teixeirinha prestigiaram o Cordelteca da EEMAS e avaliou como positiva a participação da comunidade escolar nos projetos e eventos da escola. "Agradeço a todos que contribuíram direto e indiretamente com a concretização de mais um projeto em nossa escola. Tudo isso é fruto de uma parceria entre alunos, professores, funcionários, gestores em parceria com sétima direc." contou a diretora Marta Araujo.
















Por George Araújo


PROJETO CORDELTECA NA ESCOLA: UMA VIAGEM A CULTURA POPULAR


quinta-feira, 30 de novembro de 2017

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

SALA GEO/ARTES - IX MOSTRA CULTURAL DE TRABALHOS ESCOLARES DA EEMAS 2017

A Escola Estadual Maria Arioene de Souza realizou nos dias 21 e 22 de novembro de 2017 a IX Mostra Cultural de Trabalhos Escolares com o tema: "Dos seios da mãe África ao Torrão do meu Sertão: nossa origem, diversidade e emoção". com a participação de toda comunidade escolar (gestores, coordenadores, professores e alunos). O eventos foi aberto na terça-feira, dia 21 de novembro com o Sarau Cultura que encantou os convidados com apresentações de musical, declamações de poesias e peças teatrais.

SALA GEO/ARTES
PROFESSORA ANA KARENINE

A sala Geo / Artes, teve como tema: África e Nordeste; conhecendo o ontem, trabalhado o hoje e construindo o amanhã.

Apresentou trabalhos realizados pelos alunos do 2º ano noturno e 1º ano matutino, entre algumas contribuições de outros alunos dos turnos citados. A sala foi constituída pelo painel de curiosidades sócio geográficas do continente africano e da região nordeste. Cada painel era composto por 10 imagens emblemáticas, à frente dos painéis observa-se o globo terrestre luminoso, onde os visitantes a partir da explanação dos grupos de alunas, tinha acesso à localização da África e Nordeste no mundo.

A seguir tínhamos um painel expositor com as fotos referentes a aula de campo no município de Areia-PB, e uma maquete demonstrando a casa grande, plantação da cana de açúcar, capela entre outros detalhes do lugar visitado. Foi exposto aos alunos também, um problema ambiental em comum da África e nordeste brasileiro, que é a desertificação. Os alunos puderam apreender sobre os fatores que levam a desencadear esse processo, e possíveis soluções para a melhoria do solo nesses ambientes. Foi construída uma maquete apresentando todo esse processo. 

No percorrer da sala esteve expostos objetos confeccionados nas aulas de artes, através das técnicas do origami, garrafas de vidro enroladas com canudinhos de jornal ou barbante, garrafas pintadas onde foram produzidas “baianinhas” caraterizadas. As lembrancinhas da sala foram feitas com a técnica do barbante enrolado nas garrafinhas, e ficaram lindas. Xilogravuras, molduras em bandejas de isopor, mosaico de imagens da África, entre outras.

Foram feitas as máscaras e mandalas inspiradas na cultura africana com proveito de caixas de papelão, as quais deram um charme a mais na sala. Na sessão seguinte foram apresentadas mais ações 2017; cartografando a árvore genealógica, desenhos e pinturas em telhas inspirados na cultura indígena, nordestina, africana e modernismo. Esteve exposto um painel com detalhes sobre o júri simulado ocorrido durante o projeto interdisciplinar: Drogas licitas e ilícitas no Brasil, além de cartazes produzidos no decorrer do projeto. 

De maneira geral, a sala propôs uma aproximação entre as culturas nordestina e africana no cotidiano de nossas vivências particulares e em sociedade. Foram abordados aspectos gerais, geográficos, políticos, culturais e sociais. Houve uma plena disposição do alunado frente as atividades realizadas, de forma que apresentaram uma postura dinâmica e interativa, demonstrando maior interesse e maior enfoque nas aulas de geografia e artes. Após a realização da Mostra, ficou evidente a postura dos alunos como agentes da construção do conhecimento.

Acreditamos que as atividades desenvolvidas, constituíram-se no passo inicial ao trabalho de ensino e aprendizagem da cultura africana e nordestina e que a escola deve prosseguir com essas atividades para a formação do senso crítico dos estudantes, perante o tema abordado. 

Fonte: Ana Karenine, professora especialista em Geografia e Gestão ambiental.